Não basta ter metas, tem que monitorar

Não basta ter metas, tem que monitorar

Não basta ter metas, tem que monitorar

Não basta ter metas, tem que monitorar, em um dos grupos do qual participamos no LinkedIn, foi publicado um texto que trazia 3 pontos fundamentais no processo de gestão de metas:

  • Definir metas “agressivas”, porém realistas;
  • Levantar (e analisar) os dados;
  • Monitorar a performance.

E, por mais óbvios que pareçam, muitas organizações enfrentam dificuldades no momento da execução destes pontos, seja por falta de uma verdadeira cultura de resultados ou mesmo por barreiras tecnológicas resultantes da complexidade (ou desconexão) de suas ferramentas/ sistemas atuais.

E o que temos visto com mais recorrência é a “negligência” no acompanhamento do desempenho. Nem é preciso dizer o quanto isto enfraquece qualquer decisão tática que seja necessária ser tomada ao longo do período (e não só depois do “fechamento”). Ou seja, não se consegue acompanhar a performance dos indicadores-chave…

  • …como posso estabelecer (para mim ou minha equipe) um plano de ação eficiente?
  • …como posso dar feedback para minha equipe?
  • …como posso criar um plano de incentivo eficaz?

Diante disto, fica a reflexão de que o acompanhamento de resultados, traduzidos em performance de forma simples e objetiva, é tão importante quanto a definição da meta em si.

Leia o post completo (em inglês) publicado originalmente por Matt Tyre que inspirou este breve post aqui no blog da AchieveMore. Não basta ter metas, tem que monitorar

Share on linkedin
Share on google
Share on facebook
Share on twitter

Outros artigos que podem te interessar

Você sabe o que faz um analista de remuneração e benefícios?

Você sabe o que faz um analista de remuneração e benefícios?

Você sabe o que faz um analista de remuneração e benefícios? Ter um analista de remuneração e benefícios dentro da empresa se tornou essencial para a saúde delas, pois são eles que analisam os indicadores, a performance e o quanto e o porquê determinado valor está sendo pago a algum colaborador. Com isso,  ajudam a

Como definir os modelos de remuneração variável dentro das empresas?

Há algum tempo atrás os salários fixos eram o ponto de maior atenção e o principal motivador para os profissionais, porém, com o passar do tempo esta preferência acabou diminuindo e os modelos de remuneração variável acabaram ganhando um espaço maior dentro das empresas.  Esta modalidade de remuneração se tornou um recurso importante para a

A remuneração variável e o direito do trabalho.

A remuneração variável e o direito do trabalho.

Muitas empresas já aderiram e muitas outras estão aderindo e implementando um  sistema de remuneração variável, mas nem todas as empresas estão cientes da relação da remuneração variável e o direito do trabalho.  Por isso neste artigo selecionamos para você os principais pontos da legislação trabalhista quando se trata de remuneração variável.  No passado, a

Gostou? Inscreva-se para receber mais conteúdos como esses gratuitamente